Saiba o motivo para o TRF-4 ter negado o pedido de Lula para participar de debate na Band

O Tribunal Regional Federal da quarta Região (TRF -4) tomou uma atitude nesta última segunda-feira, dia 06 de agosto e negou o recente pedido do PT para que o condenado e ex-presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva tivesse liberdade para poder participar dos debates que aconteceriam na emissora da TV Bandeirantes. Tudo iria acontecer nesta próxima quinta-feira, dia 09 e o debate contaria com todos os candidatos a presidência. O PT exigiu ao TRF -4 uma tutela de urgência para que Lula pudesse comparecer ao debate através de uma videoconferência, método já utilizado anteriormente na pré-campanha do partido.

Porém, Bianca Arenhart, juíza federal, não concedeu o pedido do partido político e considerou que eles não possuem uma legitimidade tão alta para propor tal alternativa, acrescentou também que tanto o pedido quanto a legitimidade deveriam ter sidos apresentados com antecedência pela defesa do ex-presidente do Brasil. A juíza escreveu uma nota nesta última segunda-feira, dia 06, onde explicou um pouco a respeito de sua decisão. "Notadamente pela inexistência de efeito suspensivo ao agravo de execução penal e pela inadequação da tutela recursal pleiteada aos instrumentos de natureza processual penal, não conheço do pedido"

Bianca não foi a primeira juíza que desconsiderou tais pedidos do PT para com o ex-presidente Lula, no dia 11 de julho deste ano outra juíza também tomou uma atitude parecida. Trata-se da juíza de primeira instância Carolina Lebbos, na época responsável pela execução da pena de Luiz Inácio e ela também negou todos os pedidos existentes para que Lula fosse entrevistado. Lebbos fez questão de ignorar qualquer exigência feita pelo partido incluindo as exigências de videoconferências durante a pré-campanha. Atualmente o país está surpreso em ver um homem condenado ser candidato ao cargo máximo da política brasileira.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*