Ministro Marco Aurélio reúne gabinete e prisão de Lula pode ser suspensa

Segundo informações do site “O Atagonista”, o Ministro Marco Aurério do STF (Supremo Tribunal Federal) se reuniu com seus assessores para que pudessem analisar uma liminar que havia sido protocolada ontem pelo PEN/Patriotas. A liminar se refere no âmbito ADC 43. A tentativa é de que o entendimento da corte suprema a respeito de prisões em segunda instância seja revisada.

“Super Moro”: atriz Monica Iozzi fez postagem irônica após prisão de Lula ter sido ordenada

Marco Aurélio deixou claro que irá continuar julgando seus casos da forma que ele pensa ser correto mesmo que isso seja contrário ao entendimento do Supremo. Aurélio foi um dos cinco ministros que votaram a favor da concessão do recurso a Lula.

Juiz Sérgio Moro decreta prisão de Lula

Lula fala em suicídio? Saiba tudo sobre esse assunto

Na última quinta-feira (5), Moro decretou que Lula teria até as 17 horas dessa sexta-feira (6), para se apresentar na sede da PF (Polícia Federal) de Curitiba.

Sendo assim, de acordo com a decisão, o ex-presidente Lula daria início ao cumprimento de sua pena de 12 anos e um mês.

O Juiz Sérgio Moro condenou Lula a 9 anos e meio de prisão e sua pena foi aumentada pelo TRF4 para 12 anos e um mês de reclusão.

Burburinho nas redes sociais

Famosa apresentadora da Globo tem fama de pegar novinhos na balada

Militantes do PT se organizam e começam a protestar contra a condenação do ex-presidente. Muitos acreditam que Lula está sendo vítima de uma perseguição política e não concordam com sua condenação. Eles alegam que a justiça está sendo seletiva e por esse motivo a prisão seria uma atitude arbitrária. Nas redes sociais eles pedem que todos os políticos envolvidos em escândalos de corrupção também sejam condenados.

Por outro lado, os movimentos de direita foram as ruas para dar apoio aos magistrados que votaram contra Lula e não concederam o HC. Os protestos continuam por todo o país.

Até este momento o ex-presidente não teria se apresentado a sede da Polícia Federal de Curitiba.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*