Em entrevista ao ”Roda Viva”, Bolsonaro nega golpe militar

O deputado federal e atual candidato do PSL à Presidência da República participou do programa Roda Viva, na TV Cultura.

Considerado o parlamentar mais influente dessa eleição, Bolsonaro aproveitou a sabatina para se defender de algumas polêmicas e para enfatizar seus posicionamentos. O deputado foi indagado sobre sua discussão com a deputada Maria do Rosário, que ocorreu em Brasília e repercutiu nas redes sociais, rendendo assim um processo à ele, sobre o qual também saiu em sua defesa.

No decorrer do programa, Bolsonaro foi indagado sobre seu posicionamento a respeito das quilombadas e a cota para negros para ingressarem nas universidades.

Reforçando seu posicionamento contra o sistema de cotas, Bolsonaro questiona se serão concedidas cotas aos nordestinos também, assim como para os negros. Bolsonaro negou também as acusações de que ele seria homofóbico e misógino, alegando que muitas coisas ditas por ele foram em tom de brincadeira e a mídia as usou contra ele.

O candidato à presidência foi também questionado sobre o regime militar e respondeu de maneira firme que não reabriria arquivos da ditadura caso fosse eleito. ‘’Esquece isso aí. É daqui para a frente’’, declarou.

Comentou também que alguns atos que foram cometidos pelos militares da época se dava pelo clima de guerra fria que se instalou naquele tempo, e que teria se portado da mesma forma que eles se estivesse lá. 

Logo após  término do programa, Bolsonaro revelou que a escolha de seu vice está entre os nomes de Janaína Paschoal, Luiz Philippe de Orleans e Marcelo Álvaro Antônio. 

 

http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-07-31/roda-viva-jair-bolsonaro.html

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*